‘Vive la Moto’: Multimoto à conquista da Península Ibérica

Passou tudo menos despercebida a presença do grupo de Oliveira de Azeméis no Salão ‘Vive la Moto’, em Madrid. A dimensão do expositor, a quantidade de gamas e modelos exibidos e a presença do seu diretor geral aquilatavam a importância do mercado ibérico para o crescimento da empresa dos manos Duarte.

  • Texto e fotos: Fernando Pedrinho

A Multimoto definiu uma estratégia baseada num tridente de marcas, todas elas fabricadas na China. Assim, à norte-americana UM e à bem conhecida marca de UTVs Linhai, a casa da cidade que foi elevada a vila em 1799 por Dona Maria I, junta agora a Segway Powersports, cuja gama de três modelos vos demos conta recentemente. A adição da gama da casa de Pequim tornará o importador Ibérico num sério contendor no mercado de todo-o-terreno e lazer, nas gamas de acesso e intermédia, enquanto a UM lhe permite estar presente nos importantes segmentos de 125cc e de motos de cilindrada média/baixa com um preço de aquisição bastante competitivo.

Paulo Sérgio Anjos, o responsável das três marcas para Espanha, mostrava uma enorme confiança para este ano, ‘não obstante termos perdido praticamente o primeiro trimestre em termos de vendas, devido a atrasos nas entregas’, conforme nos disse. Com modelos já disponíveis para a rede de concessionários e um ‘stock bastante robusto’, o trio de marcas deverá valer mais de 2.000 unidades escoadas até ao final do ano, só em Espanha.

É claramente o ás de trunfo da Multimoto na expansão ibérica, com a aposta na apelativa gama da jovem Segway Powersports, cujos modelos apenas ficámos a conhecer no Salão de Milão de 2019. O SSV Villain SX10 é a jóia da coroa, com toda a gama a apresentar versões híbridas (com motor elétrico) esperançadamente já em 2023.
Adriano Duarte (à direita) é o diretor geral da Multimoto e deixou bem clara a importância para a Multimoto da aposta na Segway Powersports para os mercados de Espanha e Portugal. Paulo Sérgio Anjos, responsável comercial e de marketing das três representadas no país vizinho, reforçou essa expectativa através de um preço competitivo e (muitas) unidades disponíveis para entrega.
Dedicada à geração X e com um preço de venda na casa dos 2.000 euros, em Espanha, a UM Xtreet 125 surge renovada e ainda mais apelativa com o novo esquema cromático. Uma ‘streefighter’ de oitavo de litro que promete dar de falar.
A gama Renegade é a ‘best seller’ da UM e a Freedom Edition vem expandir a lista de ‘cruisers’ da casa de Miami, com a importante homologação Euro 5. Está disponível nas versões 125 e 300, tal como as Commando, Classic, Vegas e Sport (todas elas a cumprirem a Euro 5), como monocilíndricos, arrefecidos por água, cabeça de quatro válvulas e injeção eletrónica da Bosch. O farol estilizado com a letra R em led é imagem bem vincada desta gama, muito inspirada nas Sportster de uma marca sediada nas margens do lago Michigan, apesar de serem desenhadas em Turim.
A UM DSR 125 Adventure TT Grand Tourer tem bons argumentos para fazer os mais novos que se queiram aventurar e viajar por áreas mais inóspitas, particularmente nesta versão com malas traseiras, para-brisas mais elevado, ferros de proteção e foles da forquilha dianteira.

Honda Hornet

Honda CB750 Hornet. Recomeço de uma história de sucesso

Herdeira de um nome de peso na indústria motociclística, a Honda CB750 Hornet marca o recomeço de uma história de sucesso. Com todo um universo de novidades face às antecessoras, a nova Hornet, cujo vídeo de apresentação pode ser visto aqui, promete fazer jus a um nome que, há quase um quarto de século de […]

Continuar

A Kawasentos Novazaki

Texto e fotos: Alex Kossack Uma das memórias mais vívidas e mais marcantes que tenho de quando era miúdo, memória que sem dúvida talhou e me incutiu este gosto por motas, foi a Kawasaki 900, a Z1, a verdadeira Kawasentos Novazaki, e foi também a primeira moto a sério em que andei. Foi ainda antes […]

Continuar
Honda CB750 Hornet

Honda CB750 Hornet. O vídeo

A Honda CB750 Hornet está de regresso com um motor inteiramente novo e um quadro especificamente desenvolvido para esta moto. Afinal, diversão, agilidade e versatilidade (além da rapidez e facilidade…) são o mote da nova ‘naked’ japonesa que promete agitar o segmento. Aliás, basta olhar para a potência máxima, de 91 cavalos às 9500 rpm […]

Continuar