Viagem a Nordkapp, de Stavanger a Odda.

  • Jorge Casais
  • 01.07.2021 – 6ª Etapa
No hotel Ydalir em Stavanger com a ST pronta a derreter borracha, com um dia bem azul e um sol incrível.

O destino hoje seria Bergen mas Odda deixou-me absolutamente encantado e por aqui fiquei a pernoitar. Pelo que percebo o fiorde chama-se Sørfjorden e é de uma beleza Brutal. Mas ficará para o final a minha impressão sobre esta localidade.

Sabia que hoje tinha planeado um bom conjunto de estradas, não imaginava era quão boas elas seriam. Pelas paisagens, pelas localidades lindíssimas, quer ainda pelas estradas propriamente ditas. A minha família costuma dizer que eu pareço o famoso “road runner” dos desenhos animados.

Até posso conceder que o seja mas hoje acrescento que me senti uma toupeira tantos foram os túneis pelos quais passei.

Até acabaram por fazer jeito pois dava para refrescar um pouco enquanto circulávamos neles. É que esteve um belo dia de verão com bastante calor (cheguei a ver registados 31 graus) e um céu bem azul.

Saído de Stavanger enfio-me num interminável túnel, que liga Hundvag a Tau, com uma descida bastante acentuada. Saído da toca a toupeira, tal como planeado, cortou pela esquerda e umas centenas de metros à frente cortei por uma estradinha com o nome Heiabakkane, seguida da Fv520.

As duas fotos acima foram captadas na estrada Fv520 (código para Google Maps – 3X5P+FQ Strand )

Quando estava a planear este etapa pareceram-me interessantes. E foram, ai se foram. Tudo isto para vir apanhar a 13 mais à frente, pois à saída do túnel, se tivesse virado pela esquerda, viria sempre pela estrada 13… mas não era a mesma coisa. Recomendo estes “trabecos”.

Esta estrada, que seria a espinha dorsal para chegar a Bergan, é absolutamente divinal e até meteu pelo meio uma passagem de Ferry.

As duas fotos acima foram captadas na passagem de Hjelmeland Fergekal para Nesvika em “Ferry Boat”
(código para Google Maps – 65M7+RQ Hjelmeland )

A sensação que eu fui tendo ao longo da 13 é que sempre que entrava num túnel, com maior extensão, é que tinha deixado para trás a melhor paisagem de todas e que não seria possível haver melhor. Enganava-me sempre. Estive constantemente a ser siderado com o evoluir dos km pela 13. A verdade é que não consigo definir bem qual foi aquele momento que disse para mim mesmo, UAU! Talvez mais lá para a frente e quase e chegar a Odda.

Já agora, aquelas perguntas que vamos colocando a nós mesmos. Gostarias de viver cá? Sim se as condições meteorológicas fossem idênticas a Portugal. Gostaria de ter o nível de vida dos Noruegueses? Só se fosse doido é que diria que não. Gostarias de ser Norueguês? NÃO, estou muito bem, muito obrigado.

Deixando este momento meio filosófico e voltando a colocar a borracha no alcatrão, lá fui evoluíndo pela 13, encontrando sempre pontos de paragem… hoje arrisquei e à Tuga parei sempre num qualquer cantinho da estrada a ver se passava despercebido. Não é fácil pois o olhar de desaprovação dos Noruegueses é bem notório. E não eram polícias, olha se fossem! Mas alguém resiste a prevaricar quando vê uma coisa destas? Eu não aguentei.

Foto captada na Estrada 13 (código para Google Maps – 87C9+Q6 Erøyna )
As três fotos acima foram captadas na Estrada 13 (código para Google Maps – C632+J3 Erfjord )

Outras estradinhas seleccionadas foram as Indre Ryfylkevegen, 46, 514 e E134. Bem dita a hora que as escolhi, pois foram sensacionais.

Foto captada na Estrada Indre Ryfylkevegen (código para Google Maps – F6H2+V5 Sand )
As três fotos acima foram captadas na Estrada 46 (código para Google Maps – FWG5+4J Vikedal )
As duas fotos acima foram captadas na Estrada 46 (código para Google Maps – GVR9+M2 Sandeid )

Francamente, sei que passei por Fiordes. Sei o nome deles neste momento? Não. Quando tiver tempo, em casa, com um dia chuvoso, vou dedicar-me a este assunto para ter tudo realmente organizado e direito.

Já na estrada N134 vou rolando, rolando e rolando, mas não imaginava o que me iria aparecer. Julguei que seriam depois de Bergen as cascatas brutais que encontrei como “you must visit” quando andei a vaguear pela net a colher informação para esta viagem. São cascatas deslumbrantes. Qual cascata da Ermida, ou do Tahiti, ou de Mizarela. Estou a brincar. Cada uma no seu género são todas brutais.

Link para vídeos no youtube

  1. https://youtu.be/LAg1G_YRLB0 (código para Google Maps – R8WR+G7 Fjæra)
  2. https://youtu.be/cYErTugtqtc (código para Google Maps – WHXM+6H Skare)
Foto captada na Estrada N134 (código para Google Maps – R8WR+G7 Fjæra )
Foto captada na Estrada N134 (código para Google Maps – WHXM+6H Skare )

Todas as estradas percorridas hoje foram excelentes, mas esta E134 tem ali qualquer coisinha que lhe dá um toque especial.

Chegado de novo a 13, já estava a fazer contas às horas para chegar a Bergen. Tinha até já visto qual era a próxima localidade, Odda, para parar e marcar um hotel. Estou a descer em direcção a Odda e deparo-me com uma cidade que parecia saída de um qualquer desenho animado da Disney… quando eles eram realmente desenhos animados (lá vem o velho do Restelo empancar mais uma vez … OVER AND OUT).

Não resisti e por aqui fiquei a pernoitar. Recomendo vivamente!

As quatro fotos acima foram captadas em Odd

Na minha página do facebook Rides in my country and also beyond borders, partilho um directo que fiz ao final do dia https://fb.watch/6tYDJBh16l/

Ora vamos lá a ver como está a viagem em termos de custos

  • Estadia – 145.00€ No apartamento Bakkegata the blue hotel (Odda)
  • Refeições – 30.00€
  • Gasolina – 22.00€

Somando tudo dá 190.00€ mas faço notar que fiquei a meio do caminho para Stavanger.

(*) Estes consumos são retirados do computador de bordo da ST. No ínicio de cada dia faço reset a este parâmetro.

Percorridos – 268 km. Horas efectivas de condução – 05h11m. Total de horas em passeio – 08h34m

Altitude máxima – 432 m. Moto – Yamaha Super Ténéré

Vídeo

Wikilok

https://pt.wikiloc.com/trilhas-motociclismo/01-07-2021-nordkapp-sixth-stage-stavanger-to-odda-i-77164700

Honda ADV350 na The Silent Route

Honda ADV350 Tour & Fun Challenge. The Silent Route

O desafio tinha tanto de provocador como de entusiasmante. Viajar até Alcañiz, com a Honda ADV350, para assistir ao Grande Prémio de Aragon prova do Mundial de MotoGP. Pelo caminho, algumas das mais deliciosas estradas das províncias de Zaragoça, Teruel, Castellon, Tarragona e Barcelona. Incluindo a famosa The Silent Route. Simplesmente espantosa! Texto: Paulo Ribeiro […]

Continuar

Passeio pelas aldeias preservadas próximas do Porto

04-06-2022 Longe de mim pensar que iria hoje dar mais uma voltinha na minha ST, pois ontem quando consultei o “forecast” meteorológico indicava que choveria. Não foi o caso e ainda bem. Texto e fotos: Jorge Casais Continuando a “saga” de percorrer aldeias de Portugal lá planeei a visita a Couce, Castromil, Quintandona, Figueira, Cabroelo, […]

Continuar

Saga das aldeias preservadas em Portugal.

Aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Texto e fotos: Jorge Casais A ideia para este passeio foi visitar as aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Mas também revisitei as Ponte Românica de Panchorra e o Mosteiro de Santa Maria de Cárqueres. Novidades foram realmente as visitas efectivas às aldeias […]

Continuar