Viagem a Nordkapp, de Rognan – Sørvågen (Lofoten).

  • Jorge Casais
  • 08.07.2021

Vou mover um processo judicial ao Criador.

Não é justo que tudo que a natureza possa ter de fantástico, brutal, monumental, etc…etc…etc… o Criador tivesse “plantado” tudo junto e aqui na Noruega. Parece impossível. Ou será que foi Odin que intercedeu?

Pois é, julgava que já tinha visto tudo de bom e do melhor para se ver. Enganei-me redondamente. Fui uma vez mais surpreendido com esta vinda a Lofoten e que coincidiu mais ou menos com a passagem da E6 para a E10.

Mas comecemos pela E6 que, como referi ontem, será minha companheira por muitas centenas de km. Tinha percorrido cerca de 50 km após ter deixado Rognan, e dou de caras com um spot bem calminho que deu para captar umas imagens.

As quatro fotos acima foram captadas todas no mesmo local (Código para colar no Google Maps – CJ8X+C6 Andkilen )

Moto a trabalhar e siga que ainda tinha muita borracha para deixar no alcatrão. Por falar em borracha, tenho que agradecer ao César Vieira e ao José Pedro Carvalho o conselho que me deram para meter estes pneus. Sei que estes pneus são estradistas puros, o que não faz o meu género, mas para esta viagem era do que necessitava.

Não costumo ouvir música quando ando de mota mas hoje deu-me para ouvir música clássica e os compositores eleitos foram Beethoven e Tchaikovsky. Achei apropriado para a viagem que estava a fazer. Algo que desde o início deste passeio me chamou a atenção é o patriotismo dos Noruegueses, ostentando condignamente a bandeira do país nas suas casas.

Também em conversa com o Thor (o tal que me salvou a pele quando ia para brønnøysund, quando dei conta que não tinha onde dormir) o mesmo disse-me que uma percentagem muito razoável de Noruegueses gosta de fazer férias na Noruega. Também pudera, não é? Com um país destes e com tanto cantinho para visitar!

Mas voltando à borracha e ao alcatrão, lá fui andando pela E6 até Bognes onde tive mais uma passagem de Ferry de Bognes para Skarberget. Com tanto barco ainda saio da Noruega marinheiro! Ou como me perguntou o César Vieira hoje, se vim andar de moto ou fazer um cruzeiro.

As 3 fotos acima foram captadas no mesmo local (Código para colar no Google Maps – 63FG+VC Bognes )

Ainda na E6 e com alguns km pela frente para chegar a Narvik encontro mais um memorial de agradecimento às tropas aliadas que ajudaram a reconquistar a Noruega ao exército alemão. Mais um memorial simples mas com uma enorme mensagem por trás. Gratidão e/ou reconhecimento.

As 2 fotos acima foram captadas no mesmo local (Código para colar no Google Maps – 97M3+V7 Søndre Håkvik )

Não digo que estivesse a ser um tédio esta parte da viagem, mas como tinha uma expectativa enorme com Lofoten parecia que nunca mais lá chegava. Parecia aqueles putos que entram no carro para ir de férias para o Algarve com os pais e, ainda não passaram a ponte da Arrábida, já estão a perguntar se falta muito. Eu hoje não andei muito longe disto, a consultar constantemente o meu sistema de navegação.

Entretanto chego a Narvik. Cidade importante para a Noruega, mas também para a Suécia. O meu hobby do ferro modelismo, que tem estado parado/morto desde que reiniciei a vida com as motas, ensinou-me que a extracção de ferro que é feita nas minas de Kiruna é depois “despachada” a partir do porto de mar de Narvik. Em Bjerkvik mudo então para a E10 que é uma estrada arrebatadora em quase toda a sua extensão tal como o foram as Fv17, Fv60, 15, 63. Mas esta tem ali qualquer coisa de especial. Para mim tem. Mas como amanhã vou ter que apanhar grande parte da mesma para seguir mais para norte, verei se se a minha impressão se mantêm.

Decorriam poucos km de ter então começado a rolar na E10 e começaram a sair os Uaus, incrível, surreal, e sempre acompanhado pela música de dois grandes compositores. Por esta razão, de tantos Uaus, é que o segundo vídeo tem pouca edição e são quase 16 minutos. Não consegui cortar.

Melhor do que as palavras são as imagens pelo que partilho algumas fotos das paragens que fiz ao longo da E10. Não foram muitas paragens porque já era tarde e não tinha hotel marcado. Quando o tentei fazer pela net estava a dar tudo ocupado, mas lá tentei a minha sorte e estou a escrever estas linhas no excelente Rorbuhotell em Sørvågen. Esta vila piscatória é uma de entre várias que por aqui existem em Lofoten, e que são todas lindíssimas.

Não podia de deixar de referir que ao passar pelas inúmeras secas de cabeças de bacalhau (pelo menos só vi cabeças) me veio à memória que também existia uma área no que é agora Parque da Cidade do porto, onde se fazia exactamente o mesmo mas com os bacalhaus (por estes mares pescados) inteiros.

Partilho abaixo algumas das fotos que fui captando ao longo do caminho.

(Código para colar no Google Maps – FC8R+5C Husjord )
As 2 fotos acima foram captadas no mesmo local (Código para colar no Google Maps – CXMV+H8 Myrland )
(Código para colar no Google Maps – 6MX6+JJ Svolvær )
(Código para colar no Google Maps – 6MX7+J4 Svolvær )
(Código para colar no Google Maps – 7655+4V Smorten )

Entretanto chego a Ramberg e dou de caras com uma praia em que a cor do areal e a cor da água parecia que estava em Bali ou em qualquer outro desses sítios. Pena que a foto não ilustre a cor verde clara e límpida da água.

(Código para colar no Google Maps – 36VM+67 Ramberg )

Entretanto José Pedro Carvalho aquela ida até Kirkenes está cada vez mais a ganhar consistência na minha cabeça. Huuuuuuuuum.

Vamos lá a olhar para a carteira…

  • Estadia – 200.00€ (Rorbuhotell)
  • Refeições – 65.00€
  • Gasolina – 59.00€

Somando tudo dá 324.00€

(*) Estes consumos são retirados do computador de bordo da ST. No início de cada dia faço reset a este parâmetro
Realço a vermelho quando tenho despesas não previstas ou associadas à manutenção, prevista, da ST.
  • Percorridos – 633 km. Horas efectivas de condução – 09h34m. Total de horas em passeio – 12h30m
  • Altitude máxima – 381 m. Moto – Yamaha Super Ténéré

Vídeo

1 – https://youtu.be/-6Gypzklf5g

2 – https://youtu.be/C639nyZGUqM

Wikilok

https://pt.wikiloc.com/trilhas-motociclismo/09-07-2021-nordkapp-rognan-a-lofoten-77818066

Honda ADV350 na The Silent Route

Honda ADV350 Tour & Fun Challenge. The Silent Route

O desafio tinha tanto de provocador como de entusiasmante. Viajar até Alcañiz, com a Honda ADV350, para assistir ao Grande Prémio de Aragon prova do Mundial de MotoGP. Pelo caminho, algumas das mais deliciosas estradas das províncias de Zaragoça, Teruel, Castellon, Tarragona e Barcelona. Incluindo a famosa The Silent Route. Simplesmente espantosa! Texto: Paulo Ribeiro […]

Continuar

Passeio pelas aldeias preservadas próximas do Porto

04-06-2022 Longe de mim pensar que iria hoje dar mais uma voltinha na minha ST, pois ontem quando consultei o “forecast” meteorológico indicava que choveria. Não foi o caso e ainda bem. Texto e fotos: Jorge Casais Continuando a “saga” de percorrer aldeias de Portugal lá planeei a visita a Couce, Castromil, Quintandona, Figueira, Cabroelo, […]

Continuar

Saga das aldeias preservadas em Portugal.

Aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Texto e fotos: Jorge Casais A ideia para este passeio foi visitar as aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Mas também revisitei as Ponte Românica de Panchorra e o Mosteiro de Santa Maria de Cárqueres. Novidades foram realmente as visitas efectivas às aldeias […]

Continuar