Viagem a Nordkapp, de Rognan – Bodø – Rognan.

  • Jorge Casais
  • 08.07.2021

Como referi ontem, fiquei por Rognan e hoje acabei mesmo por ficar o dia nesta localidade, e aqui pernoitar mais uma noite. O tempo estava péssimo e tinha de tratar de arranjar umas botas depois de me terem dado o “mico” às minhas. Esta decisão de aqui ficar também tem a ver com o facto de Lofoten ser o ponto de destino seguinte, e sendo uma estrada com muito para ver, contemplar, fotografar e filmar, não fazia sentido arrancar para lá sabendo que ia apanhar muito nevoeiro e chuva, e depois nem sequer com um mísero registo visual ficaria porque todas aquelas ilhas e montanhas iriam estar escondidas.

Confesso que também já devia umas horas muito largas à cama pelo que também aproveitei o dia para relaxar e dormir mais um pouco.

Este passeio tem sido fenomenal mas partilho que me sinto um nómada. Não tenho as cabras para ser um Berbere a vaguear pelo Atlas, mas vagueio pela Noruega com a minha inseparável elefanta (ST). Mesmo tendo tudo organizado por dia, para levar o estritamente necessário para o hotel, acaba por ser cansativo, mas quem corre por gosto não se cansa, já diz o velho ditado e com toda a razão.

Então lá fui até Bodø e fui directo à Yamaha Senteret Løvold AS, tendo sido impecavelmente atendido. Este Homem não devia ser das profundezas daqui do sítio. O normal seria ser atendido com duas pedradas e passados alguns minutos, então sim, ser atendido normalmente. Incrível, até parecia que me conhecia faz muitos anos.

Depois de ter saído da Yamaha ainda pensei dar uma volta por Bodø mas seria perda de tempo. A chuva e nevoeiro que estavam não davam para ver absolutamente nada.

De volta ao hotel escrevo esta memória, vou até à FERESPE trabalhar mais um pouco e fico a aguardar pelo dia de amanhã, que imagino será top. Pelo que li e vi promete mesmo.

Entretanto com este tempo livre andei a investigar o que meu “salvador” me disse sobre visitar kirkenes. Na altura ouvi-o com atenção mas não estava no meu horizonte por lá passar, pois ainda é um desvio de algumas centenas de km entre Alta e Nordkapp. Mas agora que estou para aqui parado ponho-me a pensar. Afinal de contas, esta é uma daquelas viagens que só se faz uma vez na vida (pelo menos eu, para a Noruega, por muito que tenha gostado, fechou), não será de aproveitar? Vou ver melhor.

Aqui ficam algumas imagens daqui de Rognan, que é uma pasmaceira total, mas muito fixe. Como diria alguém bem conhecido, “No pasa nada”.

Contas à vida…

  • Estadia – 125.00€ (Rognan Hotell)
  • Refeições – 40.00€
  • Gasolina – Não necessitei de meter gasolina

Somando tudo dá 197.00€

  • (*) Estes consumos são retirados do computador de bordo da ST. No início de cada dia faço reset a este parâmetro.
  • Realço a vermelho quando tenho despesas não previstas ou associadas à manutenção, prevista, da ST.
  • Percorridos – 167 km Horas efectivas de condução – 02h38m Total de horas em passeio – 03h58m
  • Altitude máxima – 126 m Moto – Yamaha Super Ténéré

Wikilok

https://pt.wikiloc.com/trilhas-motociclismo/08-07-2021-rognan-bodo-rognan-77721672

Honda ADV350 na The Silent Route

Honda ADV350 Tour & Fun Challenge. The Silent Route

O desafio tinha tanto de provocador como de entusiasmante. Viajar até Alcañiz, com a Honda ADV350, para assistir ao Grande Prémio de Aragon prova do Mundial de MotoGP. Pelo caminho, algumas das mais deliciosas estradas das províncias de Zaragoça, Teruel, Castellon, Tarragona e Barcelona. Incluindo a famosa The Silent Route. Simplesmente espantosa! Texto: Paulo Ribeiro […]

Continuar

Passeio pelas aldeias preservadas próximas do Porto

04-06-2022 Longe de mim pensar que iria hoje dar mais uma voltinha na minha ST, pois ontem quando consultei o “forecast” meteorológico indicava que choveria. Não foi o caso e ainda bem. Texto e fotos: Jorge Casais Continuando a “saga” de percorrer aldeias de Portugal lá planeei a visita a Couce, Castromil, Quintandona, Figueira, Cabroelo, […]

Continuar

Saga das aldeias preservadas em Portugal.

Aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Texto e fotos: Jorge Casais A ideia para este passeio foi visitar as aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Mas também revisitei as Ponte Românica de Panchorra e o Mosteiro de Santa Maria de Cárqueres. Novidades foram realmente as visitas efectivas às aldeias […]

Continuar