Viagem a Nordkapp, de Ørnes a Rognan.

  • Jorge Casais
  • 07.07.2021 – 12ª Etapa

Hoje percorri a tal terceira parte que me faltava da estrada Fv17. Ou melhor, percorri-a quase toda dado a determinada altura o calor estava a tonar-se insuportável e já nem sequer era conduzir com prazer. Foi nessa altura que parei a moto e pesquisei um hotel que ficasse a caminho da estrada que vou tomar amanhã em direcção a Lofoten. Arranjei um hotel impecável, relativamente barato e que obedecia ao condicionalismo de focar apontado para onde sigo amanhã.

Rebobinando a cassete mais um daqueles momentos. Alguns amigos, que me costumam acompanhar nos passeios, estão constantemente a martelar a minha cabeça por deixar tudo na moto à vista. Quando lerem isto…ui, agora é que vai ser. O mesmo se aplica à minha esposa que se fartou de me chamar a atenção para não me esquecer de fazer isto ou aquilo porque já sabe o que a casa gasta.

Ora bem, o que aconteceu foi muito simples. De manhã chego à moto para preparar as tralhas e seguir viagem e tinha um espaço vazio no banco de trás, que é onde sempre guardei e deixei ficar as botas Forma quando não as estou a usar. Estive em algumas cidades e em hotéis cujo parque de estacionamento é ao ar livre e sempre deixei as botifarras como antes de ontem, mas quis a ironia do destino que numa “merdaleja”, por sinal bem bonita e arrumadinha, me fossem dar, em bom Tuguês, o mico às botas. Paciência. Tenho que deixar de ser crente.

Nem bem nem maldisposto lá arranquei pela Fv17, e tal como acabei ontem só me apetecia dizer UAU e com muita intensidade. Ainda nem 6 km tinham decorrido e lá parei a moto, no tal cantinho Tuga, para captar e guardar “para mais tarde recordar” o que via. Teve que ser rápido pelo que foi mesmo com a câmara do telemóvel.

(Código para colar no Google Maps – WJ2X+32 Reipå )

Nova paragem, e esta já estava a contar com ela quando planeei a viagem, no memorial Uredd. História triste pois presta tributo aos marinheiros de um submarino que morreram todos quando este embateu numa mina deixada pela marinha alemã durante a II guerra mundial. Memorial simples mas com muita força.

As 3 fotos acima foram captadas no memorial de Uredd. (Código para colar no Google Maps – WJ2X+32 Reipå)

Quando andava a pesquisar sobre este local, na altura, também fiquei a perceber que é um óptimo spot para ver a a aurora boreal durante o Inverno.

Tal não consegui ver mas o que se encontrava em frente aos meus olhos era realmente lindíssimo. São inúmeras ilhas, todas elas mais ou menos brutais, mas todas elas estão em perfeita sintonia com o mar, formando um conjunto que dá uma paisagem magnífica. O tempo não ajudou pois estava muito enublado, mas partilho alguns exemplos.

As 2 fotos acima foram capatadas no memorial de Uredd. (Código para colar no Google Maps – WJ2X+32 Reipå )

Siga viagem e apesar de serem 08h50m o calor que se fazia sentir era incrível.

A tentação de parar é sempre muita, mas lá captei muitos momentos em vídeo evitando assim parar. Não resisti foi a parar num local que até não tem nada de especial. Apenas a calma que transmite…pelo menos para mim o foi naquela altura. Ou poderia ainda estar sobre o efeito do mico das botas e quis foi respirar fundo um bocadinho e relaxar. Até que deu resultado este momento mais Zen.

(Código para colar no Google Maps – 5JXM+VJ Tuv )

De novo na estrada e sempre com o mar da Noruega sobre o meu lado esquerdo, sigo até a Fv17 encontrar a 80 perto de Løding. Aqui sigo pela direita e percorro esta estrada até a mesma encontrar a E6, que tem início em Oslo e termina em Kirkenes. Esta estrada passará a fazer parte do meu quotidiano nos próximos dias.

E assim terminou o dia que pelas razões acima foi mais curto e não terminei em Bodø, como tinha planeado.

Pois a dolorosa é que não faltar

  • Estadia – 125.00€ (Rognan Hotell)
  • Refeições – 45.00€
  • Gasolina – 27.00€
  • Somando tudo dá 197.00€

Antes de ontem (05.07.2021) faltou referir que a o custo na Yamaha para mudança de óleo e o respectivo filtro foi de 330.00€ pelo que o Custo por km (com todas as despesas incluídas) também foi actualizado.

(*) Estes consumos são retirados do computador de bordo da ST. No início de cada dia faço reset a este parâmetro.
  • Percorridos – 291 km. Horas efectivas de condução – 04h11m. Total de horas em passeio – 05h09m
  • Altitude máxima – 680 m. Moto – Yamaha Super Ténéré

Vídeo

Wikilok

https://pt.wikiloc.com/trilhas-motociclismo/07-07-2021-nordkapp-stage-12-ornes-to-rognan-77639189

Honda ADV350 na The Silent Route

Honda ADV350 Tour & Fun Challenge. The Silent Route

O desafio tinha tanto de provocador como de entusiasmante. Viajar até Alcañiz, com a Honda ADV350, para assistir ao Grande Prémio de Aragon prova do Mundial de MotoGP. Pelo caminho, algumas das mais deliciosas estradas das províncias de Zaragoça, Teruel, Castellon, Tarragona e Barcelona. Incluindo a famosa The Silent Route. Simplesmente espantosa! Texto: Paulo Ribeiro […]

Continuar

Passeio pelas aldeias preservadas próximas do Porto

04-06-2022 Longe de mim pensar que iria hoje dar mais uma voltinha na minha ST, pois ontem quando consultei o “forecast” meteorológico indicava que choveria. Não foi o caso e ainda bem. Texto e fotos: Jorge Casais Continuando a “saga” de percorrer aldeias de Portugal lá planeei a visita a Couce, Castromil, Quintandona, Figueira, Cabroelo, […]

Continuar

Saga das aldeias preservadas em Portugal.

Aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Texto e fotos: Jorge Casais A ideia para este passeio foi visitar as aldeias de Ovelhinha, Boassas, Vale de Papas e Panchorra. Mas também revisitei as Ponte Românica de Panchorra e o Mosteiro de Santa Maria de Cárqueres. Novidades foram realmente as visitas efectivas às aldeias […]

Continuar