Vai de Moto e ‘manda’ os outros ir também !

Texto: Paulo Ribeiro

Ele há campanhas e campanhas! Há campanhas de verão e campanhas sem juros. Há campanhas que exaltam as vantagens de ir para fora cá dentro e campanhas que oferecem litros de gasolina. Campanhas de prevenção e campanhas de vendas online. Campanhas contra o preconceito e campanhas a favor da adoção de animais. Campanhas de saldos, de limpeza de praias, de doações, de sensibilização e consciencialização. E, depois, há campanhas inteligentes, oportunas, perfeitamente enquadradas no tempo e com objetivos devidamente delineados, prontas a mudar consciências e derrubar preconceitos.

A campanha Vai de Moto é um exemplo claro de como transformar uma dificuldade numa janela de oportunidade. Para o mercado e, não menos importante, para as pessoas. Na 3.ª vaga desta ação criada e promovida pela Comissão de Motociclos da ACAP, o reforço do apelo à utilização da moto vai mais longe. Mensagem que pretende ir (muito mais) além do universo motociclístico. Que oferece, na génese, uma oportunidade única para solucionar grande parte dos obstáculos que crescem como cogumelos nas grandes cidades, do trânsito caótico à falta de estacionamento. Mas também para quem busca diversão e aventura, tornando reais os sonhos de evasão.

O mercado está atento aos sinais e procura caminhos para sair da crise económica e social criada pela pandemia. Aquilo que nós, motociclistas, já sabemos há muitos anos, é a escada de salvação lançada a quem ainda não descobriu as inegáveis vantagens da mobilidade em duas rodas. Com um timing apropriado, coincidindo a chegada dos dias mais agradáveis para a prática da modalidade, boa parte das marcas que operam no mercado nacional (que não todas…) procuram reforçar tendência de crescimento de um mercado que contrariou as regras da crise. As vendas não caíram a pique como sucedeu em tantos outros setores, mas a versatilidade, a economia, a rapidez, a facilidade de estacionamento, o estilo e o prazer de condução podem atrair todo um universo de novos motociclistas.

Potenciais utilizadores, um público diferenciado, que marcas como a Aeon, Aprilia, Benelli, BMW, Daelim, Derbi, Ducati, Hanway, Harley-Davidson, Honda, Hyosung, Kawasaki, Keeway, Montesa, Moto Guzzi, Peugeot, Piaggio, Riya, Scomadi, Suzuki, SYM, Triumph, UM ou Yamaha querem cativar. De forma simples, mas eficaz, com uma mensagem que, mais que nunca, faz sentido repetir até à exaustão. E é nesse sentido que trabalham empresas como a American Motorcycles BMW Portugal, Conceição Machado, Desmotron, Honda, Moteo, Multimoto, Triumph ou Yamaha. A nós, motociclistas, já conhecedores dessas vantagens, cabe-nos o papel de acolher, aconselhar, acarinhar a apoiar quem agora descobre esta realidade ímpar que é o simples facto de andar de moto. E integrá-los da melhor forma numa comunidade que se quer unida e forte.

Cake Bukk

Cake. Uma fatia de futuro elétrico por 15 mil euros

A ideia surgiu… do nada. Ou melhor, apareceu para colmatar um hiato no capítulo da mobilidade. Sem qualquer ligação às motos, Stefan Ytterborn voltou a fazer brilhar as suas apetências e criou a Cake. O sueco, conhecido pelas ideias e produtos inovadores em termos de estratégia, design e marketing, ‘atacou’ as duas rodas com propostas […]

Continuar

Sorrir, antes que uma moto nos caia em cima!

Texto: Fernando Pedrinho Fotos: G.N.R. Desconheço o autor da foto de abertura deste artigo, cuja origem remonta a 1937 e terá sido tirada durante uma demonstração de soldados do Exército Britânico, o qual, ao contrário de outras forças armadas como a marinha ou a força aérea, nunca recebeu a designação de real (‘Royal’). O que […]

Continuar

Salvador Dalí e o poder inspirador de uma moto

Texto: Fernando Pedrinho Fotos: Ulf Andersen A excentricidade de Salvador Dalí foi algo que acompanhou o pintor, artista plástico, escultor, cenógrafo e escritor catalão ao longo dos seus 84 anos de vida. Mas até que ponto uma moto pôde servir de inspiração para as suas criações é algo que dá que pensar, dada habitual aversão […]

Continuar