Team SUZUKI

O livro Team SUZUKI, de Ray Battersby, é um néctar de vivência jornalística, um testemunho na primeira pessoa de uma das mais importantes equipas de competição do século XX.

Os dedos de uma mão são seguramente suficientes para contar o número de jornalistas que se podem orgulhar de ter, na segunda edição de um livro, tantas figuras relevantes a atestarem a sua qualidade. Ray Battersby é um deles. Os ex-diretores da equipa, Masazumi Ichikawa, Merv Wright e Martyn Ogborne são os primeiros a reconhecer a profundidade e seriedade da obra, testemunhada ao longo da sua criação por pilotos como Graeme Crosby e Pat Hennen, e com lugar de destaque na estante da sala de engenheiros como George Vukmanovich ou Jerry Burgess.

As 240 páginas tratam de forma cronológica o envolvimento da Suzuki e o dia-a-dia da equipa Heron desde os primeiros momentos, em 1953. As primeiras 15 páginas que são dedicadas a esta fase valem por si só este livro, ficando clara a razão pela qual a Suzuki, e seguramente também as outras marcas japonesas, dominariam o panorama desportivo nas décadas seguintes.

Nas 150 páginas seguintes fazemos uma maravilhosa viagem de trinta anos, com início em 1961. O relatório dos desafios, dificuldades e conquistas da equipa, pela qual passaram grandes nomes do motociclismo de velocidade, como Geoff Duke, Ernst Degner, Hugh Anderson, Mike Grant, Paul Smart, Dave Aldana, Barry Sheene, Jack Findlay, Teuvo Lansivuori e Randy Mamola, para citar apenas alguns, é-nos transmitido através das declarações recolhidas pelo autor, ao longo dos treinos, provas e testes.

Quando já não acreditamos que seria possível fazer mais, temos ainda pela frente cerca de 50 páginas a explicar o modelo de negócio desta época e de que forma é que se desenvolviam os projectos, como se guardavam os segredos e porque é que é tudo tão raro, ou quase nada existe do que foi feito nessa altura, nem sequer nos museus mais conceituados.

Para terminar, as especificações técnicas de 49 dos modelos mais relevantes, em muitos casos referindo as evoluções e os resultados desportivos obtidos.

Pode encomendar o livro diretamente no site do autor, por cerca de 35 €.

Esteve na minha mesa de cabeceira cerca de 15 dias, e reli alguns dos capítulos. Imperdível!

http://www.teamsuzuki.co.uk/

Cake Bukk

Cake. Uma fatia de futuro elétrico por 15 mil euros

A ideia surgiu… do nada. Ou melhor, apareceu para colmatar um hiato no capítulo da mobilidade. Sem qualquer ligação às motos, Stefan Ytterborn voltou a fazer brilhar as suas apetências e criou a Cake. O sueco, conhecido pelas ideias e produtos inovadores em termos de estratégia, design e marketing, ‘atacou’ as duas rodas com propostas […]

Continuar

Sorrir, antes que uma moto nos caia em cima!

Texto: Fernando Pedrinho Fotos: G.N.R. Desconheço o autor da foto de abertura deste artigo, cuja origem remonta a 1937 e terá sido tirada durante uma demonstração de soldados do Exército Britânico, o qual, ao contrário de outras forças armadas como a marinha ou a força aérea, nunca recebeu a designação de real (‘Royal’). O que […]

Continuar

Salvador Dalí e o poder inspirador de uma moto

Texto: Fernando Pedrinho Fotos: Ulf Andersen A excentricidade de Salvador Dalí foi algo que acompanhou o pintor, artista plástico, escultor, cenógrafo e escritor catalão ao longo dos seus 84 anos de vida. Mas até que ponto uma moto pôde servir de inspiração para as suas criações é algo que dá que pensar, dada habitual aversão […]

Continuar