Markus Ferch. “A CFMOTO será reconhecida pela fiabilidade e design”

Aproveitando uma oportunidade única, MotoX.pt entrevistou, em exclusivo, o vice-presidente da CFMOTO Europe. Markus Ferch revelou algumas linhas-mestras da evolução da marca chinesa e deu garantias importantes. Como a de que a CFMOTO será reconhecida pela fiabilidade, qualidade de acabamentos e design”.

  • Entrevista: Alberto Pires
  • Fotos: CFMOTO

A presença de Markus Ferch no lançamento internacional das CFMOTO CFORCE 450 e CFORCE 525L ofereceu uma excelente oportunidade para ter uma perceção mais abrangente do momento da marca no panorama mundial.

MotoX – Olhando para a atual gama, o que procuraram melhorar quando se debruçaram sobre os 450S/450L/520L ?

Markus Ferch – Seguramente que vão aperceber-se de tudo o que foi feito. Foram muitas as modificações a vários níveis, e ao olharmos para o conjunto podemos considerar que criámos modelos novos. Melhorámos dramaticamente o raio de viragem, que consideramos agora que era demasiado aberto. Preocupámo-nos também com as vibrações, ruído de funcionamento e a temperatura no seu redor, já que o motor produz muito calor. E depois uma infinidade de detalhes que, em conjunto, fazem toda a diferença. Como, por exemplo, a entrada de ar para o motor, ou a ergonomia na sua utilização, fundamentais para o resultado final na sua utilização.

MotoX – Estas melhorias foram baseadas nas apreciações da imprensa, na recolha de informações dos seus utilizadores ou provenientes do departamento de R&D ?

Markus Ferch – Resultou da combinação de todo esse conhecimento. Seguramente que escutamos com atenção o que dizem os nossos clientes. E contamos também com a opinião dos excelentes representantes que temos no mercado, que são profundos conhecedores deste sector. São extremamente exigentes, conhecem os modelos ao mais ínfimo pormenor e não hesitam em enviar-nos relatórios, fundamentais para o nosso processo de desenvolvimento e melhoria.

Crescer (também) nos lugares

MotoX – Relativamente ao gama atual da CFMOTO, porque é que não disponibilizam o U600 com 3 lugares?

Markus Ferch – É uma boa questão porque é útil nesse segmento ter esse terceiro lugar. Ainda não pensámos nisso, mas nunca é tarde para o fazer. No próxima geração essa característica será seguramente levada em consideração.

MotoX – Relativamente à gama desportiva, para quando a inclusão de versões com 4 lugares, já que, pelo menos em Portugal e no mercado de aluguer, seriam seguramente bem recebidos?

Markus Ferch – Curiosamente é grande a procura dessa opção nos EUA. Na Europa não sentimos que haja essa procura, e há também dificuldades em contornar aspetos legais da sua homologação. O peso é diferente e por isso podemos não conseguir incluí-lo nas classes existentes. Estamos a trabalhar nisso mas não consigo dar-lhe uma data para a sua disponibilidade. Para fazer ‘off-road’ não seria difícil, já para a conseguir a homologação… muda tudo.

MotoX – Para quando modelos desportivos com 200 cv ?

Markus Ferch – Tudo tem o seu tempo, mas estamos a trabalhar nisso. Brevemente poderemos apresentar uma versão de alta performance do Z 1000 Sport R, mas não lhe posso revelar para já muito mais.

MotoX – Referiu, durante a apresentação, a chegada dos modelos elétricos. Quando é que vão ser desvendados e comercializados?

Markus Ferch – Vamos apresentar no final deste ano os modelos mais pequenos, para os utilizadores mais novos, e dentro de 3 anos teremos versões elétricas dos modelos existentes. Acreditamos que é necessário ter esses modelos no catálogo. Há muitos utilizadores que não percorrem muitos quilómetros por dia, e depois porque, politicamente, há a vontade de investir e criar as condições para o crescimento da mobilidade elétrica. Nós vamos seguir essa orientação.

Seguir o exemplo europeu no resto do Mundo

MotoX – Qual a importância do mercado europeu para a CFMOTO?

Markus Ferch – É um mercado vital para a CFMOTO porque é onde temos a posição mais dominante de todos. Somos a marca líder na Europa, e construímos o nosso sucesso neste mercado. No futuro o maior crescimento acontecerá noutros continentes. Nos EUA a nossa quota de mercado é inferior à que registamos na Europa, como tal tem um potencial de crescimento superior. Mas não queremos perder o que já conquistámos aqui. São 500 milhões de consumidores, é um mercado de importância estratégica para nós, mas é também um mercado mais difícil que os outros por causa das normas existentes.

MotoX – Estão a equacionar de alguma forma uma presença oficial no mercado europeu?

Markus Ferch – Estamos muito satisfeitos com a nossa estrutura de distribuição. No total são 18 aqueles que nos representam, e grande parte do nosso sucesso deve-se ao seu empenho. É também uma forma de partilhar o risco. Há também benefícios na gestão das questões legais de cada país. Neste momento contamos com distribuidores excelentes, muito profissionais, e não estamos a pensar em alterar esta situação.

MotoX – Disse na apresentação algo que me impressionou, que em 2/3 anos todo o catálogo seria diferente. Como é possível uma melhoria e expansão com essa dimensão?

Markus Ferch – Temos uma capacidade de produção realmente extraordinária, mas aprendemos, no passado, que essa capacidade não basta. Tem de ser acompanhada por um centro de investigação e desenvolvimento, um design de acordo e um adequado posicionamento no mercado. São muitos os fabricantes chineses que sabem como produzir, mas poucos sabem como construir uma marca. Nós estamos no grupo daqueles que o aprenderam a fazer. Já trabalhei com muitos grandes fabricantes, e é fascinante perceber a rapidez da dimensão registada pela CFMOTO. Algumas das parcerias estratégicas foram muito importantes para nós.

Podíamos ter comprado o nome de uma marca europeia…

MotoX – A mudança de fabricante para marca é uma mudança difícil ou realizável?

Markus Ferch – Acho que é uma mudança muito difícil. Quem tiver capacidade para produzir consegue fazê-lo. Vi muitos fabricantes produzirem para terceiros o que eles encomendavam, 5 contentores para um, 10 contentores para outro, mas isso nunca aconteceu com a CFMOTO. Esta marca está presente na bolsa de valores de Xangai mas pertence a uma família que sempre quis ser uma marca e não apenas um fabricante. Apesar de muitos aconselharem a escolher um nome diferente, ou a comprar um nome europeu, sempre defenderam que queriam usar o nome CFMOTO. E evoluir de fabricante para marca, tendo agora como objetivo ser uma marca Premium. É este o próximo passo!

MotoX – Testei a CFMOTO MT 650 há cerca de 3 anos. Gostei sinceramente da moto, mas não me impressionou, não fiquei a sonhar com ela! Olhando para o que a CFMOTO produz agora percebe-se melhor o caminho percorrido. O que podemos esperar para daqui a 3 anos?

Markus Ferch – Pode esperar muito porque, reconhecendo que não basta saber produzir. Estamos pela primeira vez a desenhar e a criar motos que serão devidamente apreciadas no mercado internacional, e não apenas no mercado doméstico. Temos projetos com o estúdio de design austríaco Kiska e recentemente com o estúdio italiano Modena 40, especialista no design de motos desportivas. Introduziremos assim, no futuro, o design europeu, que será seguramente apreciado por muitos mais mercados que não apenas o doméstico. As motos que vamos introduzir vão ser mais apelativas emocionalmente. Algo que é distinto relativamente ao mercado dos Moto4, onde a predominância vai para a sua funcionalidade. Seremos reconhecidos pela fiabilidade, qualidade de acabamento e design.

Cake Bukk

Cake. Uma fatia de futuro elétrico por 15 mil euros

A ideia surgiu… do nada. Ou melhor, apareceu para colmatar um hiato no capítulo da mobilidade. Sem qualquer ligação às motos, Stefan Ytterborn voltou a fazer brilhar as suas apetências e criou a Cake. O sueco, conhecido pelas ideias e produtos inovadores em termos de estratégia, design e marketing, ‘atacou’ as duas rodas com propostas […]

Continuar
Kove 800X Super Adventure no EICMA 2022

EICMA 2022. Kove

Foi, sem dúvida, uma das marcas que maior curiosidade despertou na 79.ª Esposizione Internazionale delle Due Ruotte. Na EICMA 2022, a Kove mostrou uma trail de grande cilindrada, máquinas de motocrosse e até a versão final da quatro-e-meio que vai alinhar no próximo Rali Dakar. Mas o que é, afinal, a Kove e quais são […]

Continuar
EICMA 2022

EICMA 2022. Chinesas?… Sim, com orgulho

Foi de uma entusiasmante confiança o ambiente vivido na 79.ª Esposizione Internazionale delle Due Ruote! Ao longo de seis dias, foram muitos milhares os que visitaram os stands das mais de 1300 marcas espalhados por seis pavilhões da Fiera Milano. Afinal, mais um que em 2021 confirmando a forte aposta em deixar para trás as […]

Continuar