CFMOTO 700MT. Evolução na continuidade

Com diferenças que ressaltam desde o primeiro olhar, a CFMOTO 700MT assume-se como bem conseguida evolução da 650MT. A estética não renega as origens, mas os cuidados aerodinâmicos revelam uma proposta mais madura. Cada vez mais atrativa para os motociclistas europeus! Que reconhecem o esforço do fabricante chinês em colmatar as lacunas e evoluir em todos os campos. Do redimensionado motor ao retocado sistema de travagem, todos os detalhes contam numa moto ainda mais fácil e agradável de conduzir.

  • Por: Paulo Ribeiro
  • Fotos: Alberto Pires

Quando chegou a Portugal, em 2018, a CFMOTO 650MT foi olhada com ceticismo, fruto de uma origem que levantava ainda algumas dúvidas. Afinal, a China, vista como produtora de preço baixo e padrões de qualidade longe do exigido pelos europeus, atrevia-se nas motos de maior cilindrada. Juntava a qualidade aprendida através das parcerias com fabricantes europeus ao preço muito competitivo. O mesmo que levou essas mesmas marcas a recorrer às fábricas chinesas.

Foi uma verdadeira pedrada no charco, contrariando ideias pré-concebidas para provar, de forma inequívoca, que nem tudo o que é chinês é obrigatoriamente barato e de qualidade, no mínimo, duvidosa. Mesmo se é verdade que a capacidade industrial instalada, a abundância de mão-de-obra de baixo custo e a dimensão do próprio mercado são vetores que continuam a ditar competitividade em termos produtivos. Foi também a abertura de portas para uma gama cada vez mais completa, capaz de rivalizar diretamente com os construtores de nome firmado em décadas de sucessos.

Vitória do pragmatismo

Saída dos gabinetes de Gerald Kiska, responsável, entre outras obras, pela identidade estética da KTM, a ‘crossover’ chinesa deixava antever uma grande versatilidade, anunciada por estética moderna, de traços fluídos a partir de uma secção frontal marcante. Mas a polivalente proposta urbana evoluiu e reforça as ambições turísticas com a chegada a Portugal da mais recente proposta: a CFMOTO 700MT. Notaram a diferença? Parece pequena, é certo, mas é o suficiente para a recolocar na luta com os pesos-pesados do segmento…

CFMOTO 700MT

A frente compacta, afilada e marcada pelos LED de forte assinatura estilística viu as linhas modernizadas, com um jogo de planos sobrepostos nas laterais que criam uma sensação de leveza e proporcionam acrescida eficácia aerodinâmica. O jogo das diferenças passa ainda pelo ecrã, ajustável manualmente, feito de um material mais resistente e apresentando menos vibrações que o anterior, e pelos protetores de mãos montados de série. Garantia de maior proteção ao condutor tal como os apêndices inferiores, agora em plástico tintado, que reforçam o efeito aerodinâmico do ecrã. Que, sem ser um portento super turístico é perfeitamente suficiente a velocidades… legais.

Na posição mais baixa, o túnel de ar criado isola o peito e o capacete, minimizando a pressão e o ruído, deixando apenas os ombros mais expostos. Subindo para a mais elevada, adequada a condutores com mais de 1,75 m, melhora substancialmente a proteção. Sendo assim uma ajuda importante para o bom conforto a bordo, com posição de condução agradável, de costas direitas, com guiador alto e estreito e os pés em posição algo elevada, penalizadora daqueles que têm pernas mais longas, obrigados a dobrar mais os joelhos.

Elegância e conforto

Atitude que se estranha num primeiro momento, tal como o guiador aparentemente muito estreito, para logo se perceber a filosofia que mescla conceito ‘sport-tourer’ com necessidades de facilidade em ambiente urbano. Posição que favorece o campo de visão e o à-vontade na circulação no meio do trânsito, apenas limitada pelos retrovisores. Que, juntamente com os protetores de mãos, ficam em posição algo conflituosa com os automóveis. Em contrapartida, garantem muito boa visibilidade à retaguarda, e são praticamente isentos de vibrações.

Bem instalado num assento que ganhou uma cobertura mais confortável e agradável esteticamente, o condutor da CFMOTO 700MT vai encontrar outras boas novidades. Como o redesenhado e mais potente farol – em LED tal como toda a iluminação –, plásticos com aspeto mais cuidado e ar de maior resistência ao passar do tempo, ou o painel.

CFMOTO 700MT

CFMOTO 700MT

CFMOTO 700MT

CFMOTO 700MT

CFMOTO 700MT

CFMOTO 700MT

Com aspeto sóbrio, oferece uma boa visibilidade nas duas opções de fundo, que pode ser adequada em função da luz exterior ajustando a iluminação em cinco níveis. Ou ainda pelos comandos de muito boa imagem e melhor toque que controlam o painel TFT de 5 polegadas já conhecido da naked CFMOTO 450NK e da desportiva 450SR. Botões que, coisa rara mesmo em motos mais caras, são retro iluminados.

Detalhes que contam…

Painel com conetividade, pois claro, e uma ampla panóplia de ajustes que reforça o nível qualitativo de um modelo que conta ainda com manetes ajustáveis e depósito do líquido de travões translúcidos, de imagem moderna. E que contribuem para uma reforçada eficácia do sistema de travagem oriundo da especialista J.Juan, apoiada nos novos discos dianteiros e pastilhas. Os discos mantêm o diâmetro de 310 mm, mas deixam o formato ‘wave’ da antecessora, sendo também iguais as pinças de duplo pistão.

CFMOTO 700MT

Mas o novo material de fricção garante uma melhor sensibilidade, com maior progressividade desde o primeiro momento, favorecendo os menos experientes ou a utilização em ritmo turístico. Isto sem colocar em causa uma potência que supera as maiores exigências, mesmo quando se ultrapassa largamente a verdadeira vocação desta moto. E com assinalável resistência à fadiga causada pelo uso mais entusiasmado em estradinhas de montanha. Para o que contribuem as tubagens reforçadas com malha de aço, acompanhadas pelo sistema ABS da Continental.

Em termos de novidades, uma nota ainda para o suporte de mãos do passageiro, menos elegante que a versão anterior, mas muitíssimo mais prático. É que o tubo agora utilizado não fica tão atrás como a estrutura moldada em alumínio, evitando que o passageiro seja obrigado a tanta ginástica. Perderam-se pegas particularmente bem integradas no desenho da parte traseira da moto, ficou a ganhar o sentido prático e conforto a bordo.

Mais alma e maior diversão

Mudanças pequenas, mas significativas, no capítulo estético e da ciclística, acompanhadas por uma evolução motriz condizente. A CFMOTO 700MT utiliza a nova versão do bloco de dois cilindros paralelos, agora com cilindrada de 693 cc. Crescimento de 44 cc à custa do aumento do curso dos pistões para os 64 mm (+ 4 mm) mantendo o diâmetro de 83 mm.

CFMOTO 700MT

O mesmo motor já utilizado na ‘neo-retro’ 700 CL-X, debitando 66 cavalos às 9000 rpm e binário máximo de 60 Nm às 7250 rpm. Bloco naturalmente respeitador dos limites impostos pela normativa Euro5 e que revelou muito maior diversão em todos os regimes. Em particular naqueles mais utilizados – os intermédios – onde conta com excelente ajuda do novo escape.

A ponteira é praticamente igual, mas as curvas de saída têm um desenho diferente, favorecendo a entrega de força desde mais baixas rotações. Fica a ganhar o comportamento em cidade como também em estradas recurvadas, com melhor aceleração em saída de curva. E isto sem esquecer a resposta mais eficaz em ultrapassagem, sobretudo ao circular com passageiro e carga.

A entrega de potência está ainda mais linear, apoiada por uma caixa de velocidades muito precisa, com escalonamento curto para maior eficácia em cidade. O ligeiro tato metálico não interfere na suavidade global ou na elevada diversão nas estradinhas mais reviradas onde vale a pena utilizar a caixa sem parcimónia. Caixa que conta com uma sexta relação suficientemente longa para viagens sem stress, com menor esforço do motor e menor consumo.

Alongamentos e outros exercícios

Motor de funcionamento mais suave, mais equilibrado, deixando escapar menos vibrações que a versão de 649 cc. Aliás, apenas se sente um ligeiro formigueiro por volta das 6500 rpm. O sistema de injeção eletrónica da Bosch foi ajustado ao aumento de cilindrada e à nova configuração do escape. E os resultados são notórios, também, ao nível do equilíbrio. Com uma capacidade de alongamento que exponencia a diversão e uma sonoridade grave e possante, o motor beneficia de uma embraiagem muito macia

CFMOTO 700MT

A partir das 4000 rpm começa a despertar o entusiasmo do bloco de dois cilindros paralelos desta CFMOTO 700MT, com animação acrescida para lá das 6000 rpm. Passando pelo pico de binário, às 7250 rpm e continuando alegremente até às 9000 rpm onde surge o valor máximo de potência. Sem que, no processo, sejam sensíveis as vibrações que se faziam sentir nos poisa pés do modelo anterior, continuando sem incomodar ao nível do assento e dos punhos.

Ciclística de elevada competência

Sem grandes alterações – para lá das já referidas na travagem – a ciclística cumpre todos os requisitos exigidos pela motorização revista e alinha pela bitola mais elevada do segmento. O quadro é uma estrutura tipo diamante, em tubos de aço, confirmando o conhecido bom equilíbrio entre agilidade e estabilidade. Claro que conta com forquilha invertida da Kayaba, de 43 mm e 140 mm de curso, de fácil ajuste da extensão no topo das bainhas.

Amortecimento que privilegia o conforto e não ficou a perder com a adoção dos pneus CST Ride Migra S1 no lugar dos Metzeler Roadtec Z8 Interact. Borrachas de medidas inalteradas (120/70×17” e 160/60×17”) mas de perfil mais arredondado, de maior facilidade e suavidade em curva. Desaparece a estranha sensação na roda dianteira que parecia cair para o interior em entrada de curva, obrigando depois a maior força para recuperar a vertical. Agora, seja nas curvas mais apertadas como nas mais rápidas mudanças de direção, nota-se uma maior precisão e acrescida estabilidade em todas as velocidades.

CFMOTO 700MT

Atrás o mono amortecedor central permite ajuste em pré-carga e extensão, oferecendo razoável nível de conforto. Que pode ser aumentado jogando com a velocidade de recuperação do hidráulico sem que tal signifique um importante aumento do bambolear da dianteira em aceleração. Isto apesar da curta distância entre eixos (1425 mm) que favorece a agilidade de uma máquina que, ordem de marcha e com o depósito de 18 litros cheio, pesa 220 kg.

Evolução sem margem para dúvidas

Parecendo mais leve, mais alta – falsa sensação, mantendo o banco a 840/820 mm do solo – e mais elegante, a CFMOTO 700MT apresentou um comportamento ainda mais interessante em estrada. Supera a 650MT em todos os aspetos! Assim confirma a capacidade dos fabricantes chineses em adaptarem-se às necessidades do mercado, dando ouvidos aos utilizadores dos seus produtos. E com uma atenção aos detalhes que outros parecem descurar. Veja-se a tomada dupla USB que juntou uma moderna porta do tipo C a outra do tipo A, adaptando-se aos tempos que correm.

Atitude que vai ajudando a estilhaçar muitos preconceitos face ao “Made in China” e que torna mais premente a questão financeira da paixão motociclística. Afinal, com um comportamento muito interessante em estrada, a CFMOTO 700MT é capaz de ombrear com motos bem mais caras, incluindo algumas de menor cilindrada. Disponível em branco ou preto Nebula e um preço de venda de 6790 € apresenta a melhor relação entre qualidade, performances, equipamento e preço. Dessa forma reforça a posição como uma das mais interessantes propostas do mercado, deixando para trás várias japonesas e europeias.

Comments are closed.